sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Poema De Vez





Avoa no mar
Veleja no vento
Verdeja na mata.

Espada do mandacaru
Azedo do umbú
Dono da sombra.

O verde vadeia nas folhas do terreiro.
Verdade que veste a manga espada
E dorme no zóio de Kalú.

O verde rumina o boi
O verde redime o sol
E acende vagalumes.

Verde é sumo
Viço que cala a seca
Lagarta de fogo
Pai do olho d’água
Verde verso vão.

Um comentário:

Luis disse...

Inebriante...